13 Reasons Why e Motivos Para A Vermos

Já vos tinha dito numa publicação anterior que o 13 Reasons Why era uma das séries que queria ver na Netflix. Estreou dia 31 de Março e, tendo treze episódios, e eu indo no décimo primeiro... não a estou a ver à velocidade que quero porque não tenho mais tempo disponível.

Já tinha lido o livro no ido ano de dois mil e catorze e não foi um que me tenha impressionado muito - podem (re)ler a minha opinião sobre ele -, mas a série está absolutamente extraordinária. Todas as falhas que eu achei que o livro tinham estão a ser colmatadas - de forma brilhante - pela série. E esta é uma das razões pela qual têm de começar a vê-la agora. Mas não é só esta.

1. É UMA SÉRIE SOBRE COISAS QUE PRECISAM DE SER FALADAS
Esta não é uma série feliz, e isto é óbvio. Mas aquilo que não é óbvio são as outras temáticas e pequenas coisas que ainda precisam de ser faladas, reflectidas e mudadas: o bullying, o machismo, os boatos e todas as pequenas coisas que as pessoas falam, pensam, partilham e que acham que não vão dar em nada, mas aquele pequeno grão de nada, pode virar uma bola de neve - como a própria Hannah refere num dos episódios. Isto também pode ser relacionado com a Teoria do Caos, cuja ideia central é que uma pequena mudança no início de um evento qualquer pode trazer consequências enormes e absolutamente desconhecidas no futuro.

2. RETRATA PESSOAS REAIS COM SENTIMENTOS REAIS
Este é outro ponto importante na série. Até onde é que podemos apontar erros e achar que o culpado é o outro se todos nós podemos ter tido uma participação no final das contas?
Existem erros, existem momentos em que ficamos indignados e com raiva, mas também existe um ser humano com medos, inseguranças, defeitos e problemas.

3. UM GUIA PRÁTICO SOBRE A EMPATIA...
No liceu - e noutros momentos nas nossas vidas -, o egoísmo, o medo, a vontade de ser superior e a insegurança perante tudo são sentimentos comuns. A série (e o livro) fazem-nos questionar isso: até que ponto é que nos conseguimos colocar no lugar do outro? Até quando é que vamos continuar a ser assim? Algo que pode ser pequeno para nós, pode significar o Mundo para outra pessoa.

Temos de trazer mais empatia para a nossa vida. Não conseguimos voltar atrás, mas podemos sempre começar de novo.

4. ... E UMA SÉRIE DE REFLEXÕES
Todos os episódios trazem uma reflexão diferente (e não, não vou ser spoiler). Mas uma das falas da personagem principal - que não é o tema principal do episódio - reflecte muito sobre o que nós passamos ou vamos passar um dia:
"Dream big, they say. Shoot for the stars. Then they lock us away for 12 years and tell us where to sit, when to pee, and what to think. Then we turn 18, and even though we've never had an original thought, we have to make the most important decision of our lives".

Dá que pensar, não dá?

5. A BANDA SONORA
A banda sonora desta série é do caraças. Cada música foi escolhida a dedo para cada momento e episódio e ajuda a entrarmos no Mundo da Hannah e torna-se parte da história.

----
Já viram? Estão a pensar ver? O que acharam?

17 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. ok, oficialmente, puseste-me com vontade de ver :)

    ResponderEliminar
  4. Vi toda a série no fim-de-semana e só tenho pena de não ter mais episódios. Apesar de (ainda) não ter lido o livro, na série propriamente dita não encontrei quaisquer falhas e gostei realmente do facto de nos fazer pensar. Quero mais!

    With love, Miss Melfe

    ResponderEliminar
  5. Ainda não vi mas acabei de ficar com muita vontade :) Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. gostei de ver o teu ponto de vista. Acabei agora a série e em cada episódio tinha uma emoção diferente. achei que a Hannah sempre deu muita importância a coisas pequenas (a lista, o poema) e isso, na verdade, se tivesse sido ignorado, podia não consistir numas das razões. Claro que os boatos sobre a sexualidade da Hannah e a própria violação são suficientes para uma pessoa se querer esconder do mundo, mas o que me irritou foi ela não querer ter feito justiça e não ter lutado por si própria (não ter dito a porra do nome "BRYCE", desculpa o palavrão). e isso foi uma atitude de fraca. e também a relação dela com os pais não era NADA má, quem estava numa situação de mais desespero era o Justin, mas quem se acabou por matar com uma família perfeita e pais que a amavam foi a Hannah. A série está muito bem feita, é intrigante e os actores são muito bons. a história é simplesmente estúpida, não consigo perceber como uma rapariga que passou pelo secundário com as suas coisas normais (e não com uma situação pior, como referi antes) pôde sequer considerar em se matar. não faz sentido, é isso que quero dizer.

    ResponderEliminar
  7. Esta série deixou-me a sentir um turbilhão de coisas ao mesmo tempo! Houve personagens que adorei e personagens que de-tes-tei e ainda momentos na série que fizeram sentido e que outros nem por isso. Acho importante alertarmos para todos estes assuntos que não são regularmente falados mas sinto que alguém que sofreu tanto pelas mãos dos outros não iria deixar uma caixa com cassetes para deixar os outros a sofrer também (por exemplo, o Clay, que nada tinha a ver com um dos motivos, teve que "levar" com tudo aquilo).

    Marli, do My Own Anatomy ♥

    ResponderEliminar
  8. Ando com imensa vontade de ver esta série, e a tua publicação só me deu ainda mais vontade de o fazer. As críticas são mesmo excelentes, e é extremamente importante termos uma série assim, onde estão representados todos os problemas que temos. Tenho mesmo que começar a ver!

    Beijinhos :)
    Sónia Rodrigues Pinto
    SHE WRITES

    ResponderEliminar
  9. Fiquei com (ainda) mais vontade para ver esta série! :)

    ResponderEliminar
  10. Nunca tinha ouvido falar (não tenho netflix!) mas fiquei super curiosa!!!!

    ResponderEliminar
  11. Ainda não vi, mas já li o livro, por isso estou bastante curiosa!
    http://sunflowers-in-the-wind.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Ainda não consegui ver mas quero muitooo!! Pelo que já li sobre o assunto é mesmo uma serie a não perder!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acabei de ver a serie na semana passada e ontem publiquei um post a falar sobre ela (aqui ). É uma serie muito importante de passar a outras pessoas. Fala sobre imensos problemas que são "tabu" e que precisam ser falados! Eu adorei a serie, muito real, muito verdadeira! Sem duvida, umas das melhores series que já vi com uma mensagem importantíssima!!

      Beijinhos!!
      Black Rainbow / Instagram

      Eliminar
  13. omd siiim. Comecei estas férias a vê-la e estou a adorar! Cada vez que acabo um episódio fico pensativa e com um certo sentimento de tristeza mas é isso uma das coisas que eu acho fantástico em relação à serie: é que mexe imenso connosco.
    Incrível!
    beijinhos

    http://umacolherdearroz.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Comecei hoje e concordo com tudo!!! E julguei que tivesse sido das poucas a reparar na soundtrack, mas penso que isso seja bem característico!!

    LYNE

    ResponderEliminar
  15. Devorei a série em pouco mais de um dia.
    Ainda não li o livro mas acho que a série está brilhante.

    ResponderEliminar
  16. Vi esta série sempre na expectativa que ficasse mais interessante. Quase desisti nos primeiros episódios por ser tão história "romantico-aborrecida".

    Gosto do facto de abordar temas tabus e do ponto de vista psicológico na adolescência, mas continuo a achar demasiado infantil. O que faz algum sentido tendo em vista o público alvo.

    Se voltaria a ver? Nop. Existem séries e filmes que abordam alguns destes temas de uma forma mais interessante e que nunca ficaram na berra por isso.

    Sinceramente é daquele tipo de efeito "viral" que não entendo. Mas fico feliz de saber que se espalhou com tanta facilidade, talvez abra os horizontes a quem precise :)

    Coisas menos depreciativas à parte: Adoro o teu blog e adorei o post de todas as formas!

    Um beijo enorme

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017