The Best of 2016

Dois mil e dezasseis começou no Porto, de certa forma. Poucos dias depois do início do ano fui à Invicta pela primeira vez e, depois disso, levei os outros onze meses do ano a desejar lá voltar. O Porto foi, para mim, outro momento de viragem da minha vida. É-me difícil explicar o porquê visto que nos quatro dias em que lá estive aprendi tanto sobre mim e sobre a minha vida que vou - para sempre - guardar com carinho esta viagem.


Em dois mil e dezasseis fui mais vezes a Lisboa do que os dedos das minhas mãos são capazes de contar. Mudei de casa em Évora. Arranjei casa em Lisboa para estagiar. Andei de metro no mesmo dia em que um jogo do Benfica. Fui a um dos casamentos mais bonitos de sempre [♡]. Comprei fardas hospitalares. Aprendi a entubar, algaliar, puncionar e tratar de pessoas. Aprendi a andar de bicicleta, que as dores de crescimento são chatas mas precisas e que estou - sem sombra de dúvida - no caminho certo da minha vida: mesmo com o cansaço que tenho, mesmo a dever horas à cama.

Este ano a segunda edição do Bloggers Camp foi um sucesso, cresceu e mostrou-nos que estamos a fazer uma coisa boa. Foi o ano em que dei workshops. Em que aprendi que me consigo safar em qualquer tipo de situação e que, por mais que a vida dê voltas eu consigo dar as cambalhotas com ela.


Este ano trajei pela primeira vez. Percorri Évora com aqueles sapatos do demónio (e algum frio nas pernas) algumas vezes que não trocava por nada. Senti-me mais integrada na minha turma. Comi mais Big Macs nos últimos doze meses do que no resto da minha vida toda. E comida chinesa. Mudei de portátil e de telemóvel (oi Apple!). Voltei à Regaleira e levei o Mário comigo. Li pouco fotografei muito e ri ainda mais. Fui feliz. Tão mas tão feliz em dois mil e dezasseis que até tenho medo de como vai ser o meu dois mil e dezassete.


Foi o ano da volta ao sol. Do amor. Dos carinhos. Dos abraços. Das aventuras a dois. Dos testes que o trabalho dele nos fez passar. Dos passeios com os cães. Do morar junto. Dos jantares românticos improvisados e dos bolos de aniversário que não eram tradicionais. Do ficar bonita nas fotografias que ele me tira devido à forma que ele me vê - mesmo sem batom, despenteada, doente e morta de sono e cansaço. O ano do dizer que gosto da forma como ele me vê e que quero que ele continue a ver-me assim, para sempre.


Foi o ano da fotografia a preto e branco mas da vida vivida a cores. Do trazer o analógico de volta à ribalta. Da exploração da técnicas, do treino de olho, de poucas leituras porque as obrigações assim o fizeram. Foi o ano em que aprendi a voar enquanto caia e espantei-me comigo mesma. 

Continuei a dançar na cozinha - com companhia ou sozinha -, a cantar em plenos pulmões, a gostar de andar descalça e de levar com o vento no cabelo. A querer fotografar tudo e mais um bocadinho porque é a maneira que eu tenho de mostrar como é o Mundo para mim.

Recebi postais e aumentei a minha lista de wanderlust à conta disso. Foi também o ano em que as pessoas das quais fiquei defraudada o ano passado regressarem - nem que temporariamente - para matar saudades. E soube bem, tão bem.


Dois mil e dezasseis foi um ano filho da puta para muita gente, mas caraças...foi tão bom para mim! Mesmo com todo o cansaço acumulado, mesmo com toda a vontade de desistir muitas vezes e virar tartaruga.

Mostrei a minha raça, que metro e meio não é impedimento para nada. Que sou uma little firecracker. Não a vida da festa mas uma presença positiva. Aprendi a defender-me quando me diziam que vivia debaixo de uma pedra só porque não conhecia as músicas da moda e quando me diziam coisas do género de forma ofensiva. Em que abracei todo o meu lado geek e nerd sem vergonhas e em que contei piadas que pouca gente entendeu - mas as que entenderam eram aquelas que queria que entendessem.

Termino o ano novamente com o coração cheio de amor. Com o amor. Passou mais rápido que o ano anterior e soube-me cada vez mais a pouco.
O ano continuo a ser eu que o faço, não é ao contrário. E estou - sou - ridiculamente feliz. Foi uma viagem do caraças.

Até já, dois mil e dezassete. Obrigada, dois mil e dezasseis.



ANOS ANTERIORES

8 comentários:

  1. Que ano do caraças, minha Aninhas <3 e só mereces que 2017 seja ainda melhor! Venha ele!

    PS: mesmo feliz por teres usado *aquela* foto de nós as duas, gosto mesmo dela! <3

    ResponderEliminar
  2. Que coisa mais linda de ler! Fico muito feliz de ver que o teu ano não poderia ser melhor e só te consigo desejar um ano tão bom como este 2016 foi para ti.

    My Own Anatomy ♡

    ResponderEliminar
  3. "Recebi postais" 😉
    Que ano incrível. Espero que 2017 seja tão bom contigo quanto 2016, ou mais eheh
    Um beijinho muito carinhoso!

    ResponderEliminar
  4. Adorei as fotos!

    Há Q&A no blog, faz a tua pergunta! É o último dia.
    Feliz ano novo!!
    Beijinhos
    That Girl

    ResponderEliminar
  5. que lindo! cada vez que visito o teu blog, adoro-o ainda mais. feliz 2017 e espero que sejas muito feliz*

    ResponderEliminar
  6. Um ano em cheio. Que 2017 seja ainda melhor.

    ResponderEliminar
  7. Que bom que 2016 tenha sido um ano feliz para ti! Que 2017 seja igualmente bom.

    Live, Love, Laugh

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017