O iPhone 6: A Primeira Semana

17 outubro 2016

Nunca participei muito nessas intrigas do iOS contra o Android porque sempre acreditei que ambos os sistemas operativos tinham as suas virtudes e os seus defeitos (nada é perfeito, como é óbvio) mas, desde que saíram no mercado, que sempre tive Android. Não porque sou anti-iOS mas sim porque as suas características sempre satisfizeram as minhas necessidades.

Mas temos de nos focar nos factos: o WIKO estava a dar as últimas. Aquecia por tudo e por nada. A parte superior do telemóvel começou a empolar porque bem lhe apeteceu. A bateria ria-se na minha cara. As SMS perdiam-se no caminho. O wifi ligava quando achava que tinha de ser. Andava a ameaçá-lo de abate há meses mas ainda não tinha cumprido a promessa pelo simples facto de não saber o que havia de oferta no mercado e por sinceramente não ter paciência para pesquisas muito profundas.

E é aqui que entra o iPhone 6. O novo membro da família.

capa daqui

SISTEMA OPERATIVO
Toda a gente sabe que em termos de sistema operativo o Android e o iOS não podiam ser mais diferentes. Mas a adaptação não foi assim tão dramática como toda a gente me fazia crer. Quando mergulhei no Mundo dos smartphones o primeiro que tive (e todos até à data) foi Android. Demorei, sem exageros, uma semana até me habituar ao sistema operativo e até deixar de estar confusa em relação ao sítio das coisas. Aprendi muita, mas mesmo muita coisa com esse sistema operativo e tenho-o na melhor das contas, mas não é justo tornar o iOS num bicho de sete cabeças que não o é. Dois smartphones depois (coisa de seis anos, vá), adaptar-me ao iOS foi bem mais rápido que a qualquer Android.

O PREÇO
Sim, já sabemos que o iPhone é caro mas, se formos a fazer as contas, os telemóveis que acabamos por comprar de dois em dois anos também se tornam caros ao fim de um tempo. No entanto, se querem muito um iPhone há maneiras de o comprarem mais barato e não, não envolve prestações nem créditos manhosos.
Não se se sabem mas há sempre uma secção nas lojas de tecnologias com produtos mais baratos. E porquê? Não é por terem defeito. É por terem servido de artigo de exposição. Sim, aqueles que nós vamos tocando para testar quando vamos à loja (portanto tratem-nos bem que não sabem se um dia ele não será vosso ou de outra pessoa).

O meu foi um destes. Na FNAC do Colombo havia uma selecção (ainda bem jeitosa) de iPhones que serviram de modelo de exposição a preços bem apelativos. Os telefones estão completamente novos, sem marcas de uso (até porque eles são sempre protegidos quando em exposição), actualizados para a última versão e com tudo aquilo que têm direito com a vantagem de estarem a um preço muito mais apetecível.

Outra opção são os iPhones recondicionados. O que é que isto significa? São aparelhos já usados (claro), mas completamente funcionais e nos quais são feitos um reset de fábrica. Acabam por ter um iPhone num estado semi-novo (na maioria sem marcas de uso - mas verifiquem sempre esta informação) por uma fracção do preço e que vos é capaz de durar uns bons tempos!

capa daqui

ANDROID VS. IOS
Não vou dizer a ninguém que um é melhor que o outro até porque cada pessoa é uma pessoa e as preferências de cada um são as preferências de cada um. Mas, já tendo testado os dois sistemas, e já depois de uma semana de uso (muito) intensivo do meu iPhone...a minha balança inclina-se mais para o iOS por uma multiplicidade de factores como a practicidade de um sistema face a outro, à velocidade de processamento de qualquer informação (se bem que o meu WIKO já era velho e não é muito justo compará-lo a um telemóvel novo) entre outras que se me fosse pôr aqui a dizê-las todas esta publicação iria parecer uma tese de mestrado. O problema agora vai ser mesmo meu que, segundo o Mário, agora que me juntei ao lado negro da força...não vou querer outra coisa.


ENTÃO E AS APPS?
Nesta situação o Android bate o iOS aos pontos porque a oferta num é muito maior do que noutro (e a quantidade de apps gratuitas para o Android é maior do que para o iOS), mas isso pode ser positivo ou negativo dependendo do ponto de vista de cada um. Se no Android conseguia meter qualquer app dentro do sistema bastando para isso fazer o download dela através do Google (por exemplo), no iOS não consigo. Incomoda-me um pouco, mas nada de muito significativo.


QUAL É O VEREDICTO ENTÃO?
Depois de uma semana com o iPhone tenho a dizer que, se fosse agora, o escolhia de novo sem hesitar! É que para mim está a fazer uma diferença absolutamente descomunal. No entanto vou sempre ter um carinho especial pelo Android. Não sei se vou voltar a esse sistema, mas a porta nunca vai ser fechada.

Depois disto tudo o importante é que vocês gostem do que têm e se sintam bem com isso. Seja Android, iOS ou Windows - é essencial que funcione para vocês e para a vossa vida, nunca ao contrário.

11 comentários

  1. Once you go apple you never go back, toda a gente diz o mesmo, além do sistema ser muito mais simples e intuitivo, qualidade exterior e interior, corre tudo que nem um mimo, não crasha, não tem ataques, não te falha resumidamente! As apps as que realmente precisas são grátis, o resto é chouriço, já comprei algumas baratitas mas mais para brincadeira, o essencial está lá! Bem vinda à família, e tenta controlar a compra de capas, é viciante :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está crítico a situação das capas! Até porque o meu namorado nestas coisas ainda me incentiva mais e compra-me capas sempre que encontra uma gira (agora estou a usar uma do Pikachu à conta dele). E pior ainda? Tenho mais umas quatro - giras, giras, giras - no carrinho do eBay prontas a serem compradas!

      Obrigada pelas boas-vindas! Até agora estou a gostar muito :D

      Eliminar
  2. Bem-vinda a família Apple! Antes do 6s mantive o 4 desde 2011, foi o meu primeiro smartphone. Usei um andróide uma vez e não foi nada a minha onda. Once apple always apple! Vais adorar! :D beijinhos

    www.soniadavidmakeup.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Ai menina, desta vez apanhaste-me bem; se há coisa que não comprava, de todo, seriam máquinas fotográficas e telemóveis de exposição (tenho visto em tantas lojas, e por tantas vezes, miúdos — e graúdos — a serem completamente idiotas e desrespeitadores com os equipamentos de exposição que, do meu ponto de vista, as lojas nem os deviam pôr à venda).

    Que me digas que existe uma secção onde aparelhos com defeitos mínimos possam ser vendidos a um preço mais apetecível, tudo bem, compreendo. Agora comprar os que estiveram em exposição e que passaram pela mão de milhares de pessoas (clientes, visitantes, adultos, crianças, crentes e descrentes), não era capaz! Mas isso sou eu.

    De resto, acho que vais apaixonar-te pelo IOS e pelo Iphone no geral. Para mim é mesmo o conforto de conseguir ter os aparelhos todos sincronizados e ter uma câmara muito boa no 6 :)
    E depois há capas tão lindinhas, não há?

    Beijocas larocas, Aninha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sara Cabido, também podes sincronizar contactos, agenda, fotografias e ficheiros num Android, basta usares todas as aplicações básicas da google! ;)

      Eléctrico 28: Descobre o melhor que Lisboa tem para oferecer!

      Eliminar
  4. Nunca digas nunca mas neste momento gosto do meu Wiko e não poderia estar mais feliz. Tenho-o desde Agosto do ano passado e é bom que me dure mais um aninho pelo menos. Não tenho maneira de comprar outro agora.

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar
  5. Ana, já tinha falado da Wiko e de como tem imensos problemas. Acho que para além do telemóvel estar velho, também tem a ver com a marca. Eu há um mês atrás tinha um Sony Experia Tipo (ou qualquer coisa do género) que era Android. Já estava a dar o berro completamente. Também já não era propriamente novo, mas não era assim tão velho. Tinha 3 anos. Adquiri-o no primeiro ano de faculdade através do Santander que me permitiu pagar a prestacoes (no total na altura era quase 200€). Recentemente comprei um Meo Smart A90 por 179€ também Android. Estou a adorar. É verdade que é o telemóvel com mãos qualidade que alguma vez tive apesar de ser da MEO. O que eu queria era um Huawei, ao mesmo preço, mas infelizmente o que havia na loja era daqueles dummie (de brincar). Acabei por trazer este. Nada arrependida.

    ResponderEliminar
  6. Não fazia ideia que havia essa secção na fnac... podes-me dizer onde fica, na do colombo sff?

    ResponderEliminar
  7. Tenho um percurso semelhante e o meu Android deu-me todos esses problemas que mencionaste, mais o facto de ficar mesmo muito lento com o tempo. Agora tenho um iPhone e adoro-o, é prático, funcional e até o look do sistema operativo é muito mais bonito do que o do Android.

    ResponderEliminar
  8. Querida Ana, nunca fui possuidora de nenhum produto Apple. Cada vez que tenho de usar o pc do meu namorado, a minha irritação cresce porque nunca me lembro como é a @ LOL

    Sempre tive android e sempre andei muito satisfeita. Comprei o meu último telemóvel em Dezembro de 2014. O One Plus One é um smartphone excepcional, na altura em que foi lançado ficou à frente do iphone 6 e custou apenas 320€ já com os portes. Metade do preço e melhores características técnicas. Uma excelente compra! Em 2 anos tive 2 pequenos sustos de software, facilmente resolvidos pesquisando na net. Recomendo :D

    Eléctrico 28: Descobre o melhor que Lisboa tem para oferecer!

    ResponderEliminar
  9. Eu não imagino a minha sem o IOS! Vais ser muito mais feliz ehehe

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017