Torre + Igreja dos Clérigos, Porto

Já devem ter reparado que demoro muito tempo a escrever sobre as viagens que faço - seja em Portugal, seja no estrangeiro - mas o motivo é simples e, para mim, faz todo o sentido: gosto de prolongá-las para além do tempo em que as vivi.

Dá-me gozo abrir a pasta onde estão as fotografias dos sítios onde fui - e onde acabei sempre por ser feliz - e lembrar-me de tudo outra vez, por isso não gosto de despachar tudo rapidamente. Gosto de o fazer em pequenas doses homeopáticas.

Escrevi sobre o fim do primeiro de quatro dias no Porto em Março. Acho que já estava mais do que na altura de vos mostrar o início do segundo dia.

Eu sou daquelas que, quando viaja, gosta de se levantar cedo para começar logo a explorar. No Porto não foi excepção. O segundo dia foi aquele em que mais distância percorremos a pé e o dia começou na Torre (e posteriormente Igreja) dos Clérigos, mesmo ao lado do nosso hostel.

9h30. De pequeno-almoço tomado e de bilhete na mão (€3,00 para subirem à Torre e verem as exposições) estávamos prontos para subir. Ou pensávamos que estávamos.
A Torre dos Clérigos tem seis andares e setenta e cinco metros de altura que só se sobrem por uma escada em espiral com duzentos e quarenta degraus (sim, eu contei-os). Foi construída entre 1754 e 1763 pelas mãos do arquitecto Nicolau Nasoni e tem, como estilo predominante, o barroco (que eu adoro, não é novidade).


O pequeno enquadramento histórico à parte...quando chegámos ao topo da Torre dos Clérigos todo o cansaço que vim a sentir ao subir os degraus desapareceu ao ver a vista. De cima conseguimos ver uma panorâmica do Porto de cortar a respiração e ainda Gaia. O dia estava maravilhoso e cheio de sol o que nos deixou ainda mais felizes. Ficámos algum tempo, estáticos a observar a vista. Gostaria de vos dizer exactamente o que senti, mas não consigo - foi indescritível.

Entre a Torre e a Igreja existiam ainda pequenas salas onde estavam a acontecer exposições. Não vos sei dizer se estas exposições são permanentes ou não, mas eu gostei bastante. Consegui aprender muito sobre os Clérigos, a cidade do Porto e gostei particularmente da colecção de artefactos religiosos que podíamos ver naquele lugar.


E depois fomos à Igreja dos Clérigos e o meu queixo bateu no chão. Eu já fui a muitas igrejas na minha vida (acreditem, é algo que gosto sempre de visitar) e nenhuma - até à data - se consegue sequer comparar à Igreja dos Clérigos.

Não tenham pressas para apreciar a opulência da talha de ouro, os pormenores talhados na pedra e a riqueza que encontram nesta Igreja.


Podem visitar a Igreja na sua totalidade e sem restrições. Se não quiserem entrar na Torre dos Clérigos a entrada na mesma é gratuita. A Igreja tem três andares e recomendo - vivamente - a subirem a todos porque só assim conseguem ter a noção da beleza desta igreja e dos detalhes que ela esconde (sobretudo no observatório atrás do altar)


MAIS PORTO

5 comentários:

  1. é tão bom ler sobre as tuas viagens, faz-me sempre querer partir!

    Beijocas,
    ANDA DAÍ!

    ResponderEliminar
  2. Era suposto ter ido ao Porto este fim de semana com uma amiga, mas não deu... Agora provavelmente só em Setembro. Fiquei desejosa de conhecer essa igreja. bjs

    ResponderEliminar
  3. A vista do topo da Torre dos Clérigos foi das coisas mais lindas que já vi! Fiquei com saudades...


    www.asofiaworld.com

    ResponderEliminar
  4. Já vieste a Braga? Acho que encontrarias mais algumas igrejas para o teu top de igrejas mais bonitas :)

    ResponderEliminar
  5. Ler isto fez-me recordar a minha viagem de finalistas ao Porto, que nostalgia! E essa vista, uma das mais encantadoras! Ansiosa para ler acerca dos dias seguintes ehehe! *-*

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017