OFF TOPIC | TOP 4 Coisas Que Me Marcaram em 2015

30 dezembro 2015

Gosto de chegar aos últimos dias de um ano e reflectir naquilo que o tornou especial. Não são só as pessoas e os momentos mas também aquilo que vimos, lemos e ouvimos. Todas essas coisas nos marcam de certa forma, nos modificam, nos fazem evoluir e nos mostram novas paixões.

Tal como no ano passado mostro-vos as quatro coisas que mais me marcaram em dois mil e quinze quando o assunto foi cinema, livros e música.

LOVE, ROSIE | ME, EARL AND THE DYING GIRL | I, ORIGINS | THE THEORY OF EVERYTHING

Se vos disser que em dois mil e quinze não pisei uma sala de cinema não estou a exagerar. Fiquei-me por ver os filmes em casa e a escolhê-los a dedo. Este ano foi aquele em que vi o chamado poucos mas bons e marcaram-me de tal forma que sinto que me tornei um bocadinho melhor pessoa por causa deles.

O Love, Rosie fala de destinos e de como não podemos fugir deles: se tiver que acontecer, cedo ou tarde assim o é. O I, Origins e o The Theory of Everything falam de amor. Daquele tão grande que não nos cabe no peito. Daquele que mesmo depois de apagado nunca deixa de ser e fazemos questão de o procurar em todo o lado e nas mais pequenas coisas. Naquele que é companheiro até à última e mesmo depois disso. Já o Me, Earl and the Dying Girl fala da imprevisibilidade da vida, do não escondermos os nossos talentos e no quão bom pode ser sairmos da nossa zona de conforto. 
Foi um bom ano.
IVY LANE | A RAPARIGA NO COMBOIO | THE ROYAL WE | ROOFTOPPERS

Detesto admitir que dois mil e quinze foi o ano em que não cumpri o meu reading challenge. Propus-me a ler setenta livros e só consegui ler cinquenta e três porque a vida acontece (e a faculdade mete-se no meio). Independentemente li um bocadinho de tudo e os meus quatro preferidos mostram quão diversas foram as minhas leituras neste ano que está quase a acabar.
O Ivy Lane levou-me numa viagem dentro de mim e das minhas inseguranças, o A Rapariga no Comboio foi o thriller, o The Royal We fez-me sonhar com um príncipe mas mostrou-me que as pessoas famosas também são pessoas normais e o Rooftoppers fez-me enamorar mais uma vez por Paris e pelos seus telhados e segredos escondidos.
THE WEEKND | ÁTOA | FLORENCE AND THE MACHINE | ALICE FRANCIS

Em termos musicais, dois mil e quinze trouxe-me muito boas surpresas. Comecemos pelo The Weeknd (ou aquele tipo que fez a música para o filme do Fifty Shades): caramba se ele tem uma sonoridade brutal! Depois de ouvir mais músicas que aquelas que passaram na rádio n vezes...rendi-me. 
Os ÁTOA foram outra surpresa inesperada e muito graças ao Bloggers Camp (aconselho-os em showcase porque é qualquer coisa de extraordinário) e não me farto de dizer coisas boas sobre eles - e de insistir que eu e as Cats somos umas espécies de madrinhas musicais.
Em Junho veio a rainha do meu coração - Florence para os amigos - com um novo álbum e sambou completamente na cara de todos aqueles que lhe tentaram chegar aos pés.
A Alice Francis não foi descoberta deste ano mas foi sem dúvida o ano em que foi mais apreciada. Música antiga com um toque moderno (e quando é bem feita) é qualquer coisa de muito bom. E a querida Alice sabe o que faz!

TOP 4 DE ANOS ANTERIORES...
----

O que vos marcou em 2015? Pode ser um livro, um filme, uma banda, uma música...tudo!

7 comentários

  1. Imensa gente fala super bem do A Rapariga no Comboio, mas sinceramente acho que há thrillers melhores... Aconselho o A Praia das Pétalas de Rosa de Dorothy Koomson, tem um nome fofinho, mas um conteúdo intenso e imprevisível! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. De cinema, o que me marcou a sério foi o "The Walk". Apesar de o ter visto ontem, passou-me uma mensagem incrível e que pretendo seguir à risca quando mais precisar.
    Quanto a livros, houve uma série de fantasia que até agora não me sai da cabeça. "Jóias Negras" de Anne Bishop. Digamos que foram três livros com os quais me deliciei a ler. E ainda há o thriller "Diário de uma obsessão" de Claire Kendall que me deu muitas dores de cabeça. E fica impossível não referir que tenho andado a A-M-A-R as viagens feitas a Hogwarts.
    De música, estou tal e qual como tu no que toca ao The Weeknd, mas não posso deixar de referir que o Drakr e o Kendrick Lamar entraram na minha vida para ficarem!

    avidadelyne.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. O The Theory of everything passou a ser um dos meus filmes favoritos, adorei tudo mesmo. A Rapariga no comboio quero muito ler e sou apaixonada por The weekend.:p

    Beijinhos e Feliz Ano Novo Ana!

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Estou a ver que temos umas quantas coisas em comum. ;)
    Também vi o I, Origins há pouco tempo e gostei muito! :D
    Os outros da tua lista também vou ter que ver muito em breve.

    "Madrinhas musicais": A-D-O-R-O!! <3

    Joan of July

    ResponderEliminar
  5. The Theory of Everything foi o meu filme preferido de 2015. E também adoro The Weeknd!

    Beijinho ♡
    Rute (Made in the 90's)

    ResponderEliminar
  6. Olá , tudo bem ??? Encontrei seu blog, enquanto estava navegando pela internet e amei, já estou seguindo ele !!! Quero te apresentar o meu também : www.blogmariviana.com.br . Ele completou 4 anos no mês passado . Se quiser me encontra no Instagram é blogmariviana e o snap blogueiramari . !!!! Beijinhos, sucesso p você , que vc consiga realizar todos os seus objetivos.

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017