PERSONAL | Life in a Nutshell

28 setembro 2015

A vida (o destino, o Universo ou o que é que quer em que vocês acreditem) tem um sentido de humor do caraças quando o assunto é trocar as voltas. Normalmente sou uma daquelas pessoas que - apesar de ser maioritariamente positiva - reservo sempre uma pontinha de mim para o negativismo, para a decepção e para o pior que pode surgir. Desta vez não fiz isso, desta vez tive demasiada confiança e, por isso, desta vez doeu mais.

Sinto-me triste. E zangada comigo mesma (mesmo muito zangada). Sei que trabalhei que nem uma moura para fazer isto acontecer e não é justo. E eu sei que a vida não é justa, mas bolas. Tenho sido eu contra o Mundo (e a remar contra a corrente) nos últimos quatro anos e era suposto este ser o ano em que - finalmente - iria receber a minha recompensa. Não foi.

Estou cansada também. Às vezes tentar ser sempre o raiozinho de sol numa manhã de nevoeiro não é o suficiente e eu não posso ser sempre o Sol.
As pessoas continuam sempre a dizer para relativizar, para crescer, deixar ir, seguir em frente. Mas não consigo, não dá e não quero. Preciso de fazer uma espécie de luto por aquilo que me escapou - uma vez mais - por entre os dedos. Desiludi-me a mim mesma e é isso que me custa mais, sinceramente.

Às vezes tudo o que me apetece fazer é desistir. Pendurar a bata que nunca foi, atirar os papéis ao ar e rumar em direcção ao pôr-do-sol com a cabeça tranquila e o coração leve...mas depois apercebo-me que também não ia ser feliz dessa forma. Porque é o meu sonho. Porque é aquilo que quero fazer da minha vida (e não me vejo - mesmo - a fazer mais nada).

Quatro anos é muito tempo para lutar por algo e depois vê-lo a desmoronar no último minuto.

Também me têm perguntado muito "e agora?". Eu gostava de dar uma resposta concreta mas tenho dito sempre que não sei. Porque não sei mesmo o que fazer agora. Não estava a contar que isto acontecesse e não me preparei para outra resposta que não fosse um sim.
Para já só sei que no dia um de Outubro vou à última ronda mais por descargo de consciência do que por outra coisa qualquer. As esperanças são nulas e as expectativas inexistentes mas quero permitir-me saber que esgotei todas as tentativas.

Depois disso não sei. Não estou a conseguir visualizar o meu futuro para além de cinco minutos à frente nos últimos dias. Estou desmotivada - no verdadeiro sentido da palavra - e um bocadinho farta de ver todas as portas que abro a esforço serem fechadas na minha cara com um estrondo.

Na pior das hipóteses (e a mais provável se estiver a ser realista comigo mesma) para o ano volto a tentar. Mas e até lá? Nunca fui pessoa de conseguir ficar quieta durante muito tempo mas está a ser difícil ver para além disto.
É um bocadinho ridículo estar a ter uma espécie de crise de meia-idade aos vinte e poucos anos mas sinto-me verdadeiramente perdida. Não ajuda também sentir que o tempo que tenho se está a esgotar e que está toda a gente à espera que eu faça alguma coisa.

Se a minha vida fosse um jogo de xadrez nesta altura estava prestes a atingir o xeque-mate e não é muito agradável sentirmo-nos encurraladas na nossa própria vida sem nos darem tempo suficiente para processar as coisas, para descansarmos a cabeça, para descobrirmos o que queremos fazer.

Tenho o ego magoado mas sei que, eventualmente, isto vai passar. Passou sempre. Sei que nos próximos tempos a minha resposta para o "e agora?" vai continuar a ser não sei mas depois, bola para a frente.

Tenho passado muito tempo com a minha cabeça e os meus pensamentos nos últimos dias. And I'm not sure if I quite like it.
Muito ainda fica por dizer, mas organizar o meu raciocínio para expor o que estou a sentir está complicado. E eu nunca fui muito boa a falar de sentimentos.

(Obrigadinha, Universo por achares que ainda não levei pancada suficiente em relação a este assunto. Fico a dever-te uma).

18 comentários

  1. Devias estar aqui para irmos afundar as mágoas nos copos! Olha, não penses demasiado no futuro, só saímos magoadas com a expectativa :/ xxx

    ResponderEliminar
  2. Também estou numa altura em que só estava bem numa daquelas salas em que te vão dando pratos e tu os atiras à parede, e podes gritar que não é justo. Há que parar, respirar, ter o luto e depois pensar que não há mal que nunca acabe, bola p´ra frente e dar a volta à vida quando ela nos quer trocar as voltas!
    Chora se for preciso, pensa em ti e no que queres e agarra-te aos que mais amas para arranjar uma solução e ver a luz ao fundo do túnel. E sobretudo, não desistas (eu sei que isto é chato de ouvir, mas é o que se deve fazer, nunca desistir).

    beijinhos,
    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. sim, apetece mochila às costas e esquecer tudo. mas lá vem a frase "cliché" não é a fugir que os resolvemos, os malditos problemas e tudo o que se mete no meio.

    Força miúda, beijinhos :)*

    ResponderEliminar
  4. Percebo perfeitamente e encorajo o teu período de luto. Acho que é algo necessário para seguires em frente a seguir. É algo que tens que tirar do teu caminho, faz parte.

    Tu vais ser enfermeira e vais realizar esse e todos os teus sonhos, seja quando for. Não estás a ficar sem tempo... Tempo para quê exactamente? A noção de tempo é fabricada pela sociedade (principalmente se estivermos a falar de "idades apropriadas"), como tu tão bem sabes. Claro que isso não te faz sentir melhor agora, mas é sempre bom recordar isto. :)

    E tu és forte e tão, tão dedicada e não desistes nunca, por isso também não vais começar agora. :)

    Joan of July

    ResponderEliminar
  5. Da mesma forma que o Universo nos troca as voltas, eu acredito que o Cosmos tem uma forma de "make things right again". E se há algo que tenho experienciado em volta de mim é que quem luta pelo que quer sem dúvida que obtém o que sempre sonhou :)
    Sim demora. Sim levamos pancada. Até podemos desmotivar, mas acredita que no final compensa, e tu vais conseguir :)! xx
    Blog x Facebook Page

    ResponderEliminar
  6. Espero que tenhas o tal milagre de Outubro. E se não for assim, então que tenhas um ano maravilhoso para que não penses que foi um ano perdido. Porque de certeza que será um ano excelente se estiveres predisposta a isso. Muita força.

    ResponderEliminar
  7. Girl. Eu sei que é mais fácil falar do que fazer, mas como já te disse, é berrar com o mundo até essa mágoa fugir de ti - com medo do furacão que tu és, talvez? - e depois, bola pra frente. Tu arranjas algo com que te entreter, e para o ano há mais.

    E é mesmo o que a Catarina diz, quem disse que estás a ficar sem tempo? Mulher, ainda tens muito, muito ano pela frente - então e o pessoal que demora 10 anos a tirar um curso de 3? Nunca mais era ninguém na vida :p

    Força nas canetas, estou por aqui ♥

    ResponderEliminar
  8. Abracinho de alguém que também já levou alguns nãos mas que também já conseguiu transformar segundas opções, francamente menos amadas, em verdadeiros triunfos.

    Como dizia um professor que tive, temos sempre de tentar fazer o que gostamos, mas temos de gostar de algo que valha a pena. :)

    ResponderEliminar
  9. É mesmo tao injusto quando lutamos pelo nosso sonho vezes e vezes sem conta e depois estas coisas acontecem... Espero mesmo que consigas realizar o teu sonho... Tanta gente em cursos à toa só porque sim e depois há pessoas como tu, que teem sonhos e sofrem porque nunca mais veem a hora de o concretizar... Enfim :( bola para a frente, espero que tudo te corra bem e acredita que vai mesmo correr bem!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  10. Tudo a seu tempo. Não desistas! Go Ana!

    ResponderEliminar
  11. eu acho mesmo que uma pessoa não pode ser sempre positiva, não é nada saudável! revolta-te e toma o tempo todo que quiseres até te apetecer e teres força pra voltares a trabalhar. E caga nas pessoas que te olham de lado ou não concordam com as tuas escolhas de vida. Arranja umas amigas e vai pra vida loka :)

    ResponderEliminar
  12. Volto a dizer que é uma pena não teres conseguido, porque merecias. E espero, mesmo muito sinceramente, que esta terceira volta te consiga dar uma alegria! Passei +/- pelo mesmo o ano passado ao não ser aceite em mestrado e fiquei super desnorteada e triste, e passados uns meses consegui ganhar a força suficiente para me erguer e trabalhar mais para conseguir entrar este ano e consegui.
    Apesar de tudo, nunca desistas. Tenho a certeza que consegues encontrar algo que te faça feliz para te ocupar se não entrares. (:
    Força!

    Lena's Petals xx

    ResponderEliminar
  13. Já estive a ler os comentários e já percebi que não deves ter conseguido entrar para algo relativamente a enfermagem... mas muitas vezes Deus escreve certo por linhas tortas e não conseguimos compreender porque determinadas coisas nos acontecem... mas tudo tem um razão de ser.

    Cair e voltar a levantar é um dom que poucos têm. Calma, respiração e é aos poucos que as coisas vão dando certo <3

    ResponderEliminar
  14. Pois, não tenho nada a acrescentar a tanto que já foi dito, porque tudo isso tu já sabes. Raio partam! Pena que a vocação não se mede nos testes, e logo para essa profissão que é o atributo mais importante... bjs

    ResponderEliminar
  15. Não consegues sequer imaginar o quanto eu poderia ter escrito estas palavras.

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017