BOOK REVIEW | A Rapariga no Comboio


ISBN: 9789898800541
TÍTULO: A Rapariga no Comboio
AUTOR: Paula Hawkings
EDITORA: Topseller
EDIÇÃO/REIMPRESSÃO: 2015
PÁGINAS: 320
LIVRO ÚNICO OU SÉRIE/TRILOGIA: Livro único
FORMATO DO LIVRO: Livro físico (ARC/Leitura avançada)

“A vida não é um parágrafo, nem a morte um parêntesis.”
― Paula Hawkings, A Rapariga no Comboio

Sou muito esquisita com os thrillers e policiais que leio porque cresci a ler Agatha Christie. Não é do meu tempo mas o Poirot é uma personagem marcante da minha infância porque devorei todos os livros que o meu pai tinha do detective belga (e eram todos).

Quando a TOPSELLER me deu a oportunidade de ler, em primeira mão, um livro que se dizia ser muito bom eu não recusei. Este livro esteve dezoito semanas no primeiro lugar da tabela de vendas do New York Times. Dezoito semanas! Não é brincadeira nenhuma.

Li-o em quatro dias. Um bocadinho todas as noites. Aguentei-me para não o ler todo de uma vez e para o fazer durar. Meus amigos e minhas amigas: o Gone Girl ao lado do A Rapariga no Comboio é brincadeira de crianças.
Depois de o ler estou aqui para vos convencer a meterem as mãos neste livro IMEDIATAMENTE.


Este livro é inquietante e a melhor parte é que ninguém é de confiança, incluindo as três vozes femininas que servem de narradoras desta história.

Entre uma alcóolica, uma mentirosa e uma adultera em quem é que podes confiar? Estas são as três mulheres no centro do livro: Rachel, Anna e Megan.

Eu adoro de andar de comboio (prefiro até a autocarros) e, como tal, estou sempre a olhar pela janela da carruagem para ver as vistas.
Com a Rachel não é bem assim. Ela é a rapariga no comboio que para se esquecer da sua vida miserável imagina como será a vida das outras pessoas. Especialmente a vida da "Jess e do Jason" que moram na casa que fica em frente à janela da sua carruagem onde o comboio pára no sinal vermelho todas as manhãs.


Mas, certo dia, as coisas não correm como esperado e a Rachel vê algo que destrói a imagem que ela tinha na sua cabeça da "Jess e do Jason".
E agora ela encontra-se no meio das suas vidas sem certezas do que sabe na verdade mas certa que não pode descansar até descobrir.

É interessante que a Rachel - que é, de certa forma a personagem principal - desafie os leitores a pensar em como nós assumimos muita coisa - e fazemos julgamentos - de outras pessoas baseado no nosso conhecimento limitado sobre elas. Sentir pena, nojo, frustração, compaixão e todo um rol de sentimentos por um só personagem é uma coisa rara.

Todas as personagens deste livro são terríveis e, como resultado, este livro é uma obra maravilhosa de estudo de carácter e desenvolvimento humano. Também está muito bem escrito e é um thriller psicológico preciso e bem desenvolvido. Eu não estava nada à espera daquele plot twist no final mas caraças, foi maravilhoso!


Este livro está cheio de segredos. Toda a gente os tem. É sobre os pequenos mistérios que existem por fora do que vemos à superfície. O que é que acontece atrás de portas fechadas? Até que ponto podemos conhecer uma pessoa? Que horrores existem na nossa memória  de Sábado à noite naquele ponto preto do qual não de lembras?

A Rapariga no Comboio é fascinante, viciante e oh so very creepy.

Classificação infinito mais um: 4/5

[Este livro foi-me enviado pela editora em troca de uma review honesta].

6 comentários:

  1. Quero imenso ler, mas primeiro tenho que despachar uns quantos livros que andam cá por casa! xx

    lenaspetals.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Eu já estava curiosa com o livro, agora ainda fiquei mais. *já está na wishlist*

    ResponderEliminar
  3. aiii, pára de encher a minha wishlist. :x

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Já tinha ouvido falar!Vou tentar arranjá-lo :) Adoro que todas as personagens sejam terríveis eheh

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  5. o "oh so creepy" despertou-me a curiosidade :)

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017