BEAUTY | Sun Sense

23 julho 2014

Estamos no final do mês de Julho e isso, para a maioria das pessoas, significa uma coisa: férias de Verão com muita praia, muito sol e muita piscina. Acho muito bem que assim seja, até porque o sol faz-nos mais felizes, no entanto também temos de ser conscientes.

Eu, pessoalmente, sou muito picuinhas com esta coisa do sol, do protector solar e dos raios UVA e UVB. Acho que se deve ao facto de eu ter uma tonalidade de copo-de-leite o ano inteiro e nem no Verão isso muda - o sol parece que bate em mim e foge com medo. No entanto nunca é demais termos um pouco de sun sense (uma espécie de sentido de responsabilidade solar) para que no futuro - a curto e/ou a longo prazo - não tenhamos que lidar com situações chatas que podiam ter sido facilmente prevenidas e/ou evitadas.

O protector solar é bom e é um passo importantíssimo naquilo que deve ser a nossa estratégia de responsabilidade solar.

Quando procuram por um protector solar, procurem um que contenha protecção contra raios UVA e UVB, um SPF mais alto que 15 e ingredientes que incluam, pelo menos, um dos seguintes: antihelios, dióxido de titânio, óxido de zinco ou parasol 1789. O protector não tem de vos custar os olhos da cara para ser eficaz.


Mas o que é, exactamente o SPF? O que é que os números significam? E quão altos podem ser?

Nós usamos o protector solar para prevenir que os raios ultravioletas nos danifiquem a pele. Existem duas categorias de raios UV - UVA e UVB - que podem ser considerados no universo dos protectores solares. Os UVB são os responsáveis pelas queimaduras e pelos escaldões e os UVA danificam a pele a longo prazo. Os números de SPF (sun protection factor) foram introduzidos em 1962 e servem para medir o efeito do protector solar contra os raios UVB.

O valor mínimo de SPF que podemos encontrar é de 2 e o máximo é de 70. Para sabermos quanto tempo de protecção temos do sol com determinado SPF basta usarmos esta equação:

minutos para apanhar sol sem protector x número de SPF = tempo máximo de exposição solar

Imaginem que começam a ficar vermelhos depois de vinte minutos ao sol sem protector solar; se bem aplicado (e reaplicado), um SPF 30 permitirá que fiquem ao sol durante trinta vezes mais tempo sem se queimarem. Por isso, teoricamente, teriam aproximadamente seiscentos minutos, ou dez horas, ao sol. Mas isto não é uma ciência exacta porque a quantidade de raios UV que chegam até nós depende de alguns factores: nuvens, hora do dia e reflexão dos raios UV no solo, por isso é recomendável que reapliquem o protector solar de duas em duas horas!


1 // 2 // 3 // 4

Depois deste paleio todo espero que tenham retido alguma coisa. O resto é convosco e é tudo uma questão de sermos responsáveis!





 
Podem encontrar-me também aqui:

3 comentários

  1. Eu como sou muito branquinha, sei perfeitamente as consequências de uma exagerada exposição solar, por isso só apanho sol depois das 16 horas e sempre com o meu protector 50+ :)
    Beijinhos*
    Treze Mundos

    ResponderEliminar
  2. Gostei deste post, apesar de já ter aprendido essas coisinhas em Física e Química! Adoro quando fazes publicações deste género, porque ninguém as faz como tu! :p
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  3. Também uso esse Nivea Anti-age para a cara :p

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017