AD INFINITUM | 2

O meu gosto pela fotografia vem desde dos tempos em que eu não passava de uma amostra de gente. Cá em casa sempre tivemos um stock infinito de máquinas fotográficas descartáveis que me acompanhavam em todas as visitas de estudo, passeios, idas à praia, etc.

Fui crescendo e o gosto foi aumentado também. Quando me ofereceram a minha primeira (e única) máquina fotográfica digital compacta foi a loucura. Serviu-me durante muitos e longos anos até que sucumbiu há coisa de dois anos atrás devido à velhice. Graças a ela tenho muitos momentos da minha adolescência retratados.

Há cerca de quatro anos comecei a me interessar por máquinas mais complexas. Que dessem para fazer mil e uma coisas e que ainda fizessem o pino e cozinhassem uma sopinha de legumes como bónus.
Tinha a noção que precisava de um equipamento mais avançado para que a minha fotografia - que nesse momento gostava cada vez mais e a compacta nunca ficava quieta em casa - melhorasse.
Foi nessa altura que começaram os mealheiros e a poupança de todos os euros possíveis para o Fundo DSLR. E, foi assim, que há cerca de cinco meses, a Lola veio morar cá para casa. E não vou a lado nenhum sem ela.

A fotografia analógica tem encanto. Não há melhor do que termos um rolo, de rebobinar o filme quando se acabaram as 24 (ou 36) exposições. De esperar que sejam reveladas e das surpresa que é ver as fotografias nas nossas mãos (e se quiserem saber a opinião da Carolina em relação à fotografia analógica basta irem AQUI) no entanto não podemos ser tão rápidos a julgar a fotografia digital. É fantástico conseguirmos ver logo o resultado nas nossas fotografias no ecrã. É maravilhoso podermos tirar mais de 600 fotografias de uma só vez e não gastarmos fortunas em rolos. Podemos apagar logo aquelas que não gostamos e podemos mais tarde imprimi-las se assim quisermos. A fotografia digital é prática e não é preciso nenhum equipamento XPTO para fotografar digitalmente: basta um telemóvel, por exemplo.

A Lola não foi a primeira DSLR que me veio parar às mãos. Já tinha fotografado antes com Nikon e outros modelos de Canon e, por isso, não me senti atrapalhada com os infinitos menus, opções e definições que ela me oferecia.
No entanto sei que há pessoas que só agora se estão a aventurar neste Mundo e que se sentem perdidas.
Não se aflijam que é para isso que cá estou! Serve esta publicação para vos dar umas luzes sobre os conceitos básicos de fotografia digital com uma DSLR. Um espécie de Fotografia Digital DSLR 101. Só não me peçam para vos ensinar a fazer sopa com ela que isso ainda não descobri!

1. ISO
O ISO mede a sensibilidade do sensor de imagem. Quanto maior o ISO, mais o sensor de imagem é sensível à luz, portanto a possibilidade e tirar fotografias em situações de baixa luz é maior. No entanto, quando maior o ISO mais ruído vai aparecer na fotografia e menor será a nitidez da imagem.

O ISO disponível em quase todas as máquinas varia entre 100 e 3200 ISO, sendo o ISO seguinte o dobro do primeiro (100, 200, 400, 800, 1600, 3200 ISO).

Em sentido prático...

2. VELOCIDADE DO OBTURADOR
A velocidade do obturador, em fotografia, está directamente relacionada com a quantidade de tempo que o obturador da câmera fotográfica leva para abrir e fechar, deixando passar a luz que irá sensibilizar o sensor digital a formar a imagem.

Por exemplo: se deixarmos a máquina receber luz durante 10 segundos, a fotografia só vai ficar estática e bem definida se nada no cenário em que estamos a fotografar se movimentar durante esse tempo (e isso vale para as nossas mãos a tremer também!)

Quanto menor o tempo de exposição, menos luz é absorvida no interior da máquina, maior a abertura do diafragma necessária para se obter uma exposição correcta.
O tempo de exposição é normalmente dado no formato 1/x, em que X representa uma fracção de tempo em segundos. Alguns valores comuns são: 1/15, 1/30, 1/125, 1/640, 1/1000, 1/3200.

Em sentido prático...

3. DISTÂNCIA FOCAL
A distância focal de uma objectiva é muito importante na composição fotográfica visto que esta determina a área de uma cena que a câmara pode ver quando se olha para o visor ao tirar uma fotografia.

Em todas as objectivas, existe um número que indica a distância focal. Um número baixo, sempre medido em mm, indica uma lente com distância focal curta. As lentes que encaixam neste critério são as chamadas grandes angulares e são ideais para paisagens, panoramas, arquitectura e grandes grupos de pessoas.
Já as lentes com grande distância focal são conhecidas como teleobjectivas. Estas são óptimas para quando se quer ver um tema, como um pássaro por exemplo, com a maior ampliação possível mas não nos podemos aproximar.

Resumindo por miúdos: quando maior a distância focal, mais a lente aproxima o assunto.

Em sentido prático...

4. ABERTURA DO DIAFRAGMA
A abertura do diafragma é um dos factores mais importantes na fotografia. Afecta não só a exposição como também influencia a nitidez de uma imagem.

A abertura é o diâmetro do diafragma situado no interior da objectiva. Quando maior for, mais quantidade de luz chegará à superfície do sensor, num tempo determinado.

As diferentes aberturas são conhecidas como f/ponto ou f/números que são dispostos numa série numérica, cuja sequência padrão é: f/1.4, f/2, f/2.8, f/4, f/5.6, f/8, f/11, f/16, f/22 e f/32.
Nesta escala, cada número possui uma abertura de diferente tamanho, sendo que à medida que passamos de um número para o próximo, significa que estamos a dobrar ou diminuir pela metade a quantidade de luz que alcança o sensor.

Em sentido prático...

5. FOCAGEM
Muito do sucesso das imagens depende se estão bem ou mal focadas. A sua composição e outros elementos de criatividade terão pouco impacto se as partes principais da imagem não forem bem focadas. Em muitas câmaras a focagem é feita automaticamente, mas o modo manual é bastante útil para encontrar a melhor focagem possível - e eu admito: prefiro fotografar e focar em manual.

FOCAGEM AUTOMÁTICA OU AF
Todas as câmeras vêm com focagem automática e têm um funcionamento parecido ao do olho humano fazendo o foco do motivo principal que está a ser fotografado automaticamente.

A focagem é feita quando se carrega no botão do obturador até meio.

Por vezes temos motivos em dois planos diferentes o que torna a focagem difícil. A câmera pode fazer a leitura do primeiro plano ou do segundo erradamente. Para resolver este problema existem pontos AF seleccionáveis que nos ajudam a focar o motivo correcto.

a) ONE SHOT AF
Para motivos parados. Se carregarmos no botão do obturador até meio a câmera foca apenas uma vez.

b) AI SERVO AF
Este modo destina-se para motivos em movimento, nas situações em que a distância focal muda constantemente. Enquanto carregarmos no botão do obturador até meio, o motivo fica bloqueado continuamente.

c) AI FOCUS AF
Se o motivo em movimento começar a mover-se, o AI Focus AF muda o modo AF de One-Shot AF para AI Servo AF, automaticamente.

FOCAGEM MANUAL OU MF
A focagem manual é utilizada em motivos difíceis de focar, em motivos de precisão, como por exemplo os retratos onde os olhos, em geral, devem ser bem focados.
O modo de focagem manual é excelente para ser utilizado nos seguintes motivos:

a) MOTIVOS COM BAIXO CONTRASTE
Exemplo: céu azul, paredes com cores fortes, ect.


b) MOTIVOS COM FRACAS CONDIÇÕES DE LUZ



c) MOTIVOS EXTREMAMENTE REFLECTORES E/OU EM CONTRALUZ
Exemplo: um automóvel com uma cor reflectora.


d) OBJECTOS PRÓXIMOS E DISTANTES QUE SE SOBREPÕEM
Exemplo: um animal no interior de uma jaula.


e) PADRÕES REPETIDOS
Exemplo: um teclado de computador, janelas de um arranha-céus, etc.


E vocês? Fotografia digital ou analógica?

(E em breve farei uma continuação desta publicação com mais conceitos de fotografia. Iam gostar disso?)




 
Podem encontrar-me também aqui:

14 comentários:

  1. E quando eu acho que não me consegues surpreender mais, apresentas-me publicações desta qualidade...! :)

    ResponderEliminar
  2. Também tenho uma máquina igual à tua Lola e não sabia metade do que referiste aqui! O meu namorado é que se dedica mais a ela, deixo esses detalhes todos para ele mas agora vou começar a testar essas coisas :)

    ResponderEliminar
  3. Tenho tanto a aprender contigo e este post é um mero exemplo disso! Obrigada por este post! :D
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Tu e a Carol formam uma dupla imbatível! Adoro :D

    ResponderEliminar
  5. eu sou analógica for life! mas tive a minha fase digital em que tirava essas 600 fotos eheheh tive de aprender estas coisas sozinha e bem sei o que custou no inicio não perceber o porquê de as fotos não ficarem como queria, por isso, bom post! tinha-me dado um jeitão há uns anos e vai dar jeito a quem começa a agora! :)

    ResponderEliminar
  6. Gostei!Fico à espera da próxima sobre o tema. :)

    ResponderEliminar
  7. Dá mais pormenores fotográficos que eu estou a gostar :D

    ResponderEliminar
  8. um post bastante útil para quem quer perceber um bocadinho mais de fotografia,:p

    obrigada.:)

    beijinhos,
    http://letrad.blogspot.pt/ - Another Lovely Blog!

    ResponderEliminar
  9. Que belo guia para principiantes ;)

    coucoucaroline.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. digo-te, o empenho que pões no teu blog é de elogiar, este está impecável, organizado e super informativo, pra quem tá a começar isto é uma ajuda do carago - eu andei a descobrir estas coisas sozinha xD. Eu fotografo das duas formas, não sei qual prefiro, mas tenho uma inclinação para a analógica, mas no fundo depende o que vou fazer. Muitas vezes ando com as duas máquinas atrás e quando fotografo a mesma coisa, acabo por preferir (quase sempre) as analógicas.

    ResponderEliminar
  11. Que post fantástico! Deixei-o por ler durante todos estes dias no Bloglovin, para que lhe pudesse dedicar todo o tempo que ele merecia.

    <3
    http://zazzish.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  12. Digital, apenas porque nos dias de hoje é mais fácil trabalhar com tudo digital. E fica mais barato.

    Boas explicações que deste. Já sabia grande parte mas para quem está a começar sem dúvida que este é um bom post introdutório :)

    ResponderEliminar
  13. Ana, muito obriaga por teres partilhado este post comigo! Agora que faço parte do clube das Canon há aqui muita coisa que me convem MESMO saber. Que post fantástico!*

    www.joanofjuly.com

    ResponderEliminar
  14. Já há uns tempos que ando a ler mais sobre o assunto e fui surpreendida com a notícia de que na próxima semana receberei uma fantástica prenda - a máquina fotográfica - portanto vem mesmo a calhar entender um pouco mais sobre o assunto :)

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017