BOOK REVIEW | Hate List

29 maio 2014


ISBN: 9780316041447
TÍTULO: Hate List
AUTOR: Jennifer Brown
EDITORA: Little, Brown Books for Young Readers
EDIÇÃO/REIMPRESSÃO: 2009
PÁGINAS: 405
LIVRO ÚNICO OU SÉRIE/TRILOGIA: Livro Único
FORMATO DO LIVRO: Kindle

“Because who you are is supposed to be the easiest question in the world answer, right?”
― Jennifer Brown, Hate List

Este livro é PESADO. Infelizmente aborda um tópico que vemos muito nas notícias ultimamente e que merece mais tempo de antena a ser discutido. A Jennifer Brown faz um trabalho fantástico a dar voz a esta personagem que é vítima de uma violência para o qual ninguém – em tempo algum – está preparado. E, tenho de parar um momento e aplaudir a autora pela forma como abordou este tópico de forma bastante eficaz.

Narrado completamente do ponto de vista da Valerie, nós, leitores, acompanhamo-la no aftermath do tiroteio que é o que impulsiona a história mas não é a história em si. E essa é uma das coisas que nos faz não querer pousar o livro: as emoções do depois.

Imaginem um novelo de lã com infinitas cores todas misturadas e atadas num nó – isso seriam as minhas emoções (e das de Valerie) enquanto lia o livro e mudavam de choque para raiva, de tristeza para frustração, esperança, ansiedade e de volta à raiva de novo, outra e outra vez à medida que a Valerie narra os acontecimentos.

Choque porque ela não esperava que o tiroteio acontecesse, raiva porque toda a gente pensa que ela teve qualquer coisa a ver com isso. A maior parte das emoções que Valerie lida variam entre a depressão e a tristeza porque por um lado ela deveria estar chateada com o Nick por causa do que ele fez, mas é a perda dele que mais a assombra. A dualidade desta personagem é interessante e acompanha-nos ao longo do livro. Foi ela que acabou com o tiroteio, mas também não consegue decidir quanta influência é que teve no seu namorado para o levar a fazer isso e a recorrer à violência.

Fiquei impressionada com o desenvolver das diferentes personagens ao longo do ano que sucedeu o tiroteio. Alguns não conseguiam perdoar, outros mudaram e aperceberam-se do impacto que têm nas pessoas à sua volta, e outros foram capazes de – de certa forma – começarem o processo de cura e ultrapassar aquilo que outros não conseguiram.

Brown captura todas estas emoções que passam por Valerie (e pelos seus colegas) em grande detalhe. É impossível alguém acabar de ler este livro sem se sentir inquieto, de coração pesado.

Apesar de nunca ter sentido pena do Nick e de nunca ter compreendido as suas razões para o que fez – e o seu comportamento – consegui compreender a Valerie no seu luto, desgosto, pesar após ter perdido uma pessoa que amava. Isso é um ponto importante no livro – e mostra o quão fantástica é a escrita desta autora – que diz que apesar do que aconteceu ser imperdoável alguém amava o atirador e isso fez-me perceber, como leitora, que no fim de contas a vida dele perdeu-se também.

Às vezes precisamos de um livro real (apesar de ser ficção). E este é um deles.

Classificação infinito mais um: 4/5




 
Podem encontrar-me também aqui:

5 comentários

  1. quero tanto ler!!!
    http://rrriotdontdiet.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. quero tanto ler!!!
    http://rrriotdontdiet.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. epá , tenho mesmo de ler isto. se é pesado, vou gostar.

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017