MOVIES | Atonement

20 março 2014

E para terminar a maratona cinematográfica da Keira Knightley - e de filmes históricos - trago-vos o último que vi na noite passada: Atonement.

Sinopse: No dia mais quente do Verão de 1935, Briony Tallis, uma jovem de 13 anos, vê a sua irmã mais velha, Cecilia, despir as suas roupas e mergulhar na fonte do jardim da sua casa de campo. Junto a Cecilia, está o filho do caseiro, Robbie Turner, um amigo de infância que, tal como com a irmã de Briony, se diplomou recentemente em Cambridge. No final desse dia, a vida dos três personagens terá mudado para sempre. Robbie e Cecilia terão ultrapassado uma fronteira, da qual nunca antes tinham ousado sequer aproximar-se, e ter-se-ão tornado vítimas da imaginação vívida da jovem. Briony, por seu lado, terá cometido um terrível crime, que procurará expiar toda a sua vida…


Review: Com uma estrutura narrativa não linear, Atonement, mostra-nos o Mundo de privilégios de uma classe social que não paga pelos erros que comente. A acção desenrola-se na Inglaterra dos anos 30, quatro anos antes de acontecer a Segunda Guerra Mundial e vemos um amor improvável ser abortado pela imaginação fértil e pelo julgamento precoce de uma miúda. Briony, uma escritora inteligente e imaginativa de treze anos dá um falso testemunho, convencida da culpa de Robbie, o jovem jardineiro da sua família e namorado da sua irmã mais velha e pelo qual ela tem uma paixoneta.

Diante do testemunho de Briony, conhecida pela sua imaginação fértil e portanto pouco confiável, os pais de Briony e Cecília aceitam a culpa de Robbie e mandam-no para a prisão por um crime cometido por um amigo da família, aristocrata e acima da lei.

Em Atonement, muitas das cenas são mostradas de forma fragmentada para depois serem exibidas desde do começo, num contexto que as explica adequadamente. A questão da fragmentação e do flashback serve para entender o olhar equivocado de Briony.

O James McAvoy tem uma performance cativante de um soldado que tenta regressar a casa para o seu amor. A química sexual entre McAvoy e Knightley é palpável e isso é um dos grandes factores que fazem com que este filme seja tão bom! Quem o vê dá por si a desejar que Robbie e Cecilia fiquem juntos, no entanto eventos fora do seu controlo vão mantê-los separados para sempre.

Atonement é um filme épico, grandioso e imensamente triste. Tem imagens belíssimas, um elenco de peso e temas poderosos. É um retrato sensível, cruel e dilacerante sobre o amor, os abismos sociais e a culpa, os limites da verdade e as consequências dos nossos actos. É uma história de amor bem capturada, visualmente rica e que se passa na época tumultuosa da guerra, onde duas personagens estão separadas para sempre devido ao egoísmo de uma outra.

Os grandes filmes e obras literárias deixam brechas, lacunas e pontos de interrogação e, cada vez que a apreciamos, menos respostas surgem e aparecem novas perguntas. Este é um desses filmes. O que aprendemos hoje com ele, pode ser diferente do que aprendemos amanhã.

Classificação infinito mais um: 8,5/10
Classificação IMDB: 7,8/10





 
Podem encontrar-me também aqui:

2 comentários

  1. Já vi este filme há imeeeeenso tempo!

    ResponderEliminar
  2. Chorei no fim :( é uma vergonha eu ainda não ter lido o livro. O vestido verde da Keira nesse filme é perfeito... E adoro o visual da Juno Temple também!

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017