MOVIES | The Mortal Instruments: City of Bones

10 fevereiro 2014

Este era um dos filmes que já estava na minha watchlist há imenso tempo e o que finalmente me levou a vê-lo foi o facto de ter lido o primeiro livro dias antes.

Sinopse: Na Nova Iorque contemporânea, Clary Fray, uma adolescente aparentemente normal, descobre que é descendente de uma linhagem de caça demónios, os Caçadores de Sombras, um grupo secreto de jovens guerreiros semi-anjos, envolvidos numa antiga batalha para proteger o nosso mundo dos demónios. Após o desaparecimento da sua mãe, Clary é forçada a unir-se a um grupo de Caçadores de Sombras, que lhe apresentam uma Nova Iorque perigosa e alternativa chamada Mundo-à-Parte, repleta de demónios, feiticeiros, vampiros, lobisomens e outras criaturas mortíferas.


Review: Antes de começar há uma coisa que tenho de deixar bem assente: o livro e o filme são diferentes, não digo totalmente, mas são diferentes. Existem algumas cenas que aconteceram que prefiro no livro e outras no filme.

(OK, não prometo que consiga fazer esta review sem a encher de spoilers, mas vou tentar. No entanto prossigam a vosso próprio risco que o mais provável é falhar redondamente).

O argumento desagradou-me bastante, porque muitas das coisas que foram mudadas em relação à história do livro, foram desnecessárias. O filme continuaria a ser bastante comercial e perceptível para quem ainda não tinha lido o primeiro volume da história se tivessem mantido as tais cenas originais.

Um dos grandes problemas do argumento é que invés de apresentar e imergir o espectador no Universo rico e cheio de referências de City of Bones, vai atirando factos e dá pouco tempo para que se possa absorver tudo e também não se preocupam muito em explicar as coisas em detalhes.

O filme não começa exactamente como começa o livro, porém, isso até foi uma boa mudança porque ela é importante para nos familiarizarmos com a família e o melhor amigo da personagem principal (pontos para o argumento neste aspecto).

Até à cena em que a mãe de Clary desaparece, o filme estava carregado de mistério e eu – apesar de já ter lido o livro – estava completamente ligada e interessada por saber como as coisas se iam desenvolver. Porém após uma sequência inacreditável que envolvia um demónio, um fogão e um frigorífico comecei a pensar que isto ia ser uma longa viagem e que eu não estava preparada para o que iriam fazer com o filme.

O Jace do filme não é o Jace que imaginei quando li a sua descrição no primeiro volume da saga. Independentemente da quantidade de tatuagens que lhe ponham e das variantes de outfits com cabedal que lhe vistam o Jamie Bower (actor que interpreta o Jace) é demasiado delicado e rapazinho para fazer uma actuação convincente do badass que é o Jace.

No entanto, City of Bones, merece pontos por apresentar Clary como uma protagonista independente e que não precisa de a salvem constantemente – se for preciso ela fura-vos o olho com as suas botas de salto agulha – e por retratar a homossexualidade com naturalidade absoluta.

Outro ponto a favor é o facto do filme ser dinâmico – não há basicamente momentos parados e isso ajuda-nos a voar pelo filme de duas horas sem dar por isso –, cheio de acção com efeitos visuais de qualidade tanto nas transformações dos lobisomens e vampiros quanto aos próprios demónios – há uma sequência logo no início do filme que me arrepiou de tão realistas que ficaram os efeitos.

Apesar de todos os pesares, o filme entretém e é uma boa sugestão para um fim de tarde sobretudo para quem ainda não leu os livros – porque para quem leu pode ser um bocadinho frustrante, como acho que conseguiram ver.
(E aqui entre nós: prefiro o filme – apesar de tudo – ao primeiro livro – que detestei).

Classificação infinito mais um: 6/10
Classificação IMDB: 6,1/10





 
Podem encontrar-me também aqui:

4 comentários

  1. Já o tenho agendado para ver há bastante tempo, qual quer dia vejo! Nunca li o livro portanto creio que não vai ser uma desilusão total :)

    R: O vestido é este - http://www.allurebridals.com/products/9103# (podes aceitar o comentário sem qualquer problema!). Na modelo ele parece bastante decorado por isso excluí-o assim que o vi na net mas quando o experimentei o decote não é revelador, é mais subido :)

    ResponderEliminar
  2. Olá
    Engraçado, ainda ontem vi este filme e li o livro na semana passada. No geral, concordo com o que disseste. E sim, senti-me frustrada porque de uma maneira geral o filme não seguiu muito a linha do livro e identifiquei imensos spoilers... Por isso no fim acabei por gostar mais do livro.
    Beijinhos

    ecoutemoiregardemoi.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  3. Concordo contigo, e para mim o pior é mesmo o Jace ser tão diferente do livro...

    ResponderEliminar
  4. Não li o livro, mas até gostei do filme. Não vai entrar para a lista dos meus favoritos de sempre, mas é bom para entreter.
    Não sou muito fã do Jamie Campbell Bower e se achas que ele é demasiado menino e delicado para ser o Jace, então devias tê-lo visto a interpretar o Rei Artur numa série já falecida chamada Camelot. Não tinha nada a ver e não me convencia nada enquanto King Arthur :p

    www.joanofjuly.com

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017