BOOK REVIEW | Crash

20 fevereiro 2014


ISBN: 9781471117619
TÍTULO: Crash
AUTOR: Nicole Williams
EDITORA: SIMON & SCHUSTER LTD
EDIÇÃO/REIMPRESSÃO: 2013
PÁGINAS: 384
LIVRO ÚNICO OU SÉRIE/TRILOGIA: Trilogia (Livro 1 de 3)
FORMATO DO LIVRO: Kindle
“Still trying to save the world?”
“Always,” I said, “and in case you haven’t noticed, it’s working. The world is still here.”

― Nicole Williams, Crash

Este livro entrou para a minha to-read-list no Goodreads (onde eu me mantenho organizada sobre o que quero ler, já li e estou a ler) desde que vi na sinopse que ele tinha uma personagem que era bailarina e por isso arranjei logo a trilogia toda para o Kindle assim que consegui. Infelizmente posso contar pelos dedos quantas vezes a palavra ballet – ou qualquer referência – apareceu no livro, mas não consigo contar pelos dedos o número de vezes que Jude Ryder foi preso.
Esqueçam tudo o que vocês sabem sobre bad boys e deixem-me que vos apresente o mais autêntico deles todos: Jude Ryder. Ele pode ser lindo, sexy e todos os elogios capazes de descrever o seu físico mas também é um assaltante exemplar, que já foi preso doze vezes (eu disse que não conseguia contar pelos dedos!) – e nenhuma delas por engano.

O livro conta a história da bailarina Lucy (in the sky with diaaaaaamonds) Larson. Sim, ela tem esse nome por causa da música dos Beatles mas isso não afecta muita coisa na história, é só uma peculiaridade. A história começa no fim das férias de Verão de Lucy contanto como ela conheceu (Hey) Jude Ryder e como o Mundo dela deu uma volta de cento e oitenta graus. O Jude é o tipo de rapaz que todos os pais rezam que nunca cheguem perto das suas filhas. No entanto, e por mais difícil que seja de compreender, gostei do Jude. A autora construí-o bastante bem e, aos poucos, vamos compreendendo como o seu passado e a sua família moldam as suas atitudes e o seu comportamento.

Esta história despertou em mim toda uma panóplia de emoções. Atraiu-me logo a partir do seu início intrigante e fez-me prisioneira durante o resto da história. Existiram momentos que me pareceram um bocadinho rebuscados, mesmo para ficção, mas também existiram outros que eram tão sinceros e amorosos que acabei por me perder na leitura. O humor sarcástico deste livro é genial! Passei toda a sua leitura ou a rir à gargalhada, ou de lágrimas presas na garganta, ou de sorriso parvo estampado na cara, ou com vontade de partir à chapada.

Crash passa-nos a mensagem que a esperança e que o amor têm papéis importantíssimos no que toca a ultrapassar as adversidade da vida. A história da Lucy e do Jude começou partida por causa das crueldades da vida, e eu gostei de ler a primeira parte da sua viagem emocional até à plenitude.


E agora vocês devem-se estar a perguntar se eu gostei ou não ao que eu vos respondo que sim, gostei. Virei página atrás de página sem parar, a escrita é fluida, as personagens são cativantes. Crash prende a atenção e faz-nos querer ler o segundo volume imediatamente só para saber como a história continua.

Classificação infinito mais um: 4/5




 
Podem encontrar-me também aqui:

2 comentários

  1. Ora aqui está um livro de que nunca tinha ouvido falar antes. Os melhores são sempre esses que nos fazem virar página seguir de página até chegar ao fim e aliás, desejar que o livro não acabe :p

    ResponderEliminar
  2. Adoro livros que me mexam com as emoções e esse parece um desses mas não neste momento, ando tão desnorteada que só me iria sentir ainda mais confusa...
    Sorrisos,
    Alexandra :)

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017