PERSONAL | Dizer Amor É Pouco

16 janeiro 2014

Dizer eu-amo-te é pouco. Ela não vai acreditar e olha que ela até é fã de palavras. Vais precisar de mais. Eu-amo-te é estar ao lado com chocolate em punho quando vem a TPM e ela se torna insuportável só porque lhe dói, é lavar a loiça porque ela acabou de pintar as unhas e o verniz está fresco – e eu-amo-te é também reparar que ela pintou as unhas.

Eu-amo-te é ir ao cinema ver um filme lamechas e completamente de gaja e aguentar enquanto ela tagarela e passa por todas as montras de sapatos e sonha com todos aqueles pares nos pés. Eu-amo-te é ficar com as pernas a doer de tanto passear só porque ela gosta de tirar fotografias.

Acredita, ela quer a tua companhia até nas coisas mais banais.

Ela é tímida e por isso já sabes que vai odiar falar ao telefone nem que seja para encomendar uma pizza. Mas nunca contigo. A ti, ela, se pudesse, mantinha-te em linha durante horas, nem que fosse em silêncio. Aquele silêncio quentinho que não precisa de mais nada para ser o todo.

Ela não exige muito. Ela vai para sempre recordar as surpresas que fizeste no último mês ou no último ano e nunca exigir mais. Um malmequer aqui, um doce ali e um sorriso todos os dias é o suficiente para a manter contente. Mas isso não quer dizer que deixes de te esforçar.

Faz mais. Faz mais por ela e por ti. Ela fará mais também. Diz mais eu-amo-te com abraços apertados só porque estás a morrer de saudades dela após duas horas separados. E também deves declarar-te em silêncio olhando-a nos olhos como quem grita declarações melosas aos sete ventos.

Diz mais eu-amo-te quando a fizeres parar com os ciúmes chatos, a insegurança imatura e todas essas coisas que te chateiam e estragam o relacionamento. Diz mais eu-amo-te ao saíres de casa para ires trabalhar. Ou para ir à farmácia buscar um comprimido qualquer para uma das infinitas dores chatas. Ela espirra de forma delicada mas é rija e vai recusar qualquer medicamento mas, se for preciso, é a rapariga mais chata do Mundo quando estás doente só para garantir que estás bem, que comes, que tomas os medicamentos a horas.

Faz parte.

Falta dizer mais eu-amo-te com actos. Ela quer eu-amo-te com toques, exemplos e carinhos.

E então, se for mesmo amor, cala-te nela e aprende que amor é muito mais do que estas letrinhas fáceis e decoradas.




 
Podem encontrar-me também aqui:

10 comentários

  1. Adorei as tuas palavras, tão bom! E fiquei muito feliz porque de facto amar é isso mesmo e eu sinto-me tão amada :) *

    (e que esse alguém te diga amo-te todas as vezes que precisas)

    ResponderEliminar
  2. Cheguei aqui e li este post. Simples: fiquei fã!

    ResponderEliminar
  3. Maravilhoso este texto. Dedica-te à escrita :D Parabéns!

    ResponderEliminar
  4. Quando alguém almeja escutar "eu amo-te", não é apenas de ouvido... É com todos os sentidos e ainda,... com o coração :) gostei muito!

    ResponderEliminar
  5. Fantástico mesmo :)
    http://bonecadtrapo.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017