MOVIES | The Butler

09 janeiro 2014

Quando o meu primo que está em Londres veio fazer-nos uma visita em Setembro tiramos uma noite para irmos ao cinema com amigos e o filme que decidimos ver não foi nada difícil de escolher: The Butler (O Mordomo). E é dele que vos venho falar hoje.

Sinopse: Baseado em fatos verídicos, o filme conta a história de um mordomo negro que serviu 8 presidentes na Casa Branca, durante o período de 1952 e 1986. A partir deste ponto de vista único, o filme traça as mudanças dramáticas que abalaram a sociedade Americana, desde o movimento pelos Direitos Civis, até à Guerra do Vietname, e a forma como essas mudanças afetaram a vida e a família deste homem.


Review: Comecei a ver este filme a chorar baba e ranho em plena sala de cinema. O início agarra-nos logo ao ecrã e é incrivelmente emotivo de tão triste e (de certa forma) violento que é.

Grande parte do filme desenrola-se na época de luta pelos Direitos Civis nos Estados Unidos e tudo isto através dos olhos de Cecil enquanto ele serve durante sete administrações presidenciais e enquanto vive em casa com a sua mulher, Gloria e os seus filhos Louis e Charlie.
A história da família Gaines, que se desenrola de par em par com os problemas político-sociais, confere um cari mais humano ao filme. Os momentos de humor (que são deliciosos e de partir o côco a rir!) alternam-se com os intensos episódios dramáticos trabalhados de forma irrepreensível pelo elenco de luxo deste filme.

Charlie é o filho mais novo de Cecil e Gloria, sempre com uma piada pronta, enquanto Louis é o rebelde, que facilmente entra em confronto com o pai, devido à sua visão radical de defesa dos direitos dos negros.
Esta relação entre Louis e Cecil é fulcral para a narrativa, pois permite explorar duas visões diferentes de indivíduos negros em relação ao seu papel na sociedade, embora ambos tenham papéis subversivos fundamentais. 
Cecil aprendeu a não dar nas vistas, a respeitar o seu patrão e a dar o máximo no seu emprego, mostrando que os estereótipos negativos e insultos contra os negros são meramente difamatórios. Já Louis é um apaixonado pela sua causa, desafiando as regras e as leis que permitem a segregação racial, batendo de frente contra tudo e contra todos, sendo contemporâneo de personalidades como Martin Luther King e Malcolm X que tanto fizeram para defender a igualdade e os direitos civis dos negros.

O The Butler, apesar de cometer algumas liberdades históricas ao longo do filme é um bom exemplar de um olhar por dentro de um passado controverso dos EUA.

Outro aspecto muito interessante é a possibilidade de se conseguir ter pequenos vislumbres de como funciona a Casa Branca internamente. Observamos a vida política e a intimidade dos presidentes e das suas famílias pelos olhos dos criados.

Whitaker está absolutamente fascinante neste papel e completamente credível como um homem que mesmo na sua própria casa luta para se fazer ver e ouvir. Whitaker dá uma certa nuance cinzenta a Cecil, e mostra os verdadeiros efeitos de um trauma: o que não te mata (muitas vezes) torna-te mais fraco. Mesmo quando Cecil está feliz, há algo nele que parece vazio.

Uma das coisas que não gostei foi que o final do filme pareceu-me uma campanha pró-Obama. Mas o filme não deixa de ser excelente.

Pensem neste filme como se fosse um Cavalo de Tróia. É aparentemente inofensivo, mas pega em algumas situações chave da América, Terra dos Livres e provoca alguns danos emocionais em quem o vê.

Um filme do caraças, portanto!

Classificação infinito mais um: 9/10
Classificação IMDB: 7/10





 
Podem encontrar-me também aqui:

5 comentários

  1. Um filme que parece muito bom, e que só ainda não foi visto pela falta de tempo constante.

    <3
    http://zazzish.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. Adorei o filme, maravilhoso!!!

    http://styleloveandsushi.blogspot.com

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017