MOVIES | The Virgin Suicides

09 março 2013

Na Quinta-feira passada vi um filme que já queria ver há imenso tempo. Vi o The Virgin Suicides (1999) e passados anos risquei-o da minha watchlist porque finalmente senti que tinha a maturidade suficiente para o ver, para o entender e para o apreciar.


Sinopse: The Virgin Suicides é uma história sobre a misteriosa existência de cinco irmãs, contada pelos rapazes do seu bairro que, passados 20 anos continuam sem conseguir descobrir o mistério das irmãs Lisbon. É uma singular história sobre o isolamento dessas raparigas e um trágico retrato de como os rapazes assistiram impotentes enquanto as suas vidas feneciam.
{via}


Review: O filme gira à volta da história de cinco irmãs, que são reprimidas em casa e obrigadas a desistir da sua convivência social. No processo, um grupo de rapazes ‘apaixona-se’ por esta história e decide documenta-la de forma participativa.

Na primeira cena do filme a câmera passeia por uma rua comum a qualquer cidade americana. Belas casas, com jardins bem cuidados e árvores grandes no jardim – uma representação banal do modelo familiar americano, onde tudo parece ter saído de um molde – são mostradas. Há uma tranquilidade presente no cenário, uma paz constante e densa, onde tudo faz lembrar os anúncios publicitários para a representação máxima de uma felicidade idílica.
Além de abordar um tema controverso, o do suicídio, The Virgin Suicides aborda também vários temas inerentes à juventude, tais como a rebeldia, sexo, desejo, álcool e tabaco. Todos estes temas são apresentados de forma simples mas funcional, o que ajuda a narrativa a avançar.

A Lux (personagem da Kristen Dunst) destaca-se claramente no grupo das irmãs. Ela é a típica jovem rebelde, que arrisca tudo pelo que quer, sem medir consequências.

No início do filme, Cecilia, a mais nova das irmãs, tenta o suicídio Ao ser salva, na consulta com o psiquiatra, ele insiste que ela tem uma vida maravilhosa. Sem sorrir, ela diz que é difícil ter treze anos. Mais difícil ainda é ter treze anos numa família que não funciona bem. A mãe é a chefe, e o pai é completamente passivo. Mas esta mãe tenta controlar tudo com um punho de ferro. Ela é completamente assexuada e tenta abafar todas as hormonas que estão a ferver nas suas filhas adolescentes.

Este filme mostra-nos uma América crua e fria, onde a linha entre a insanidade e a realidade é ténue e bem curta.

É um filme melancólico e muito bem conseguido e apesar de ser no geral um filme pesado temos algumas aberturas ao longo da sua duração que o tornam mais leve e feliz.

Classificação infinito mais um: 7/10
Classificação IMDB: 7,2/10

Até jazz,

10 comentários

  1. ohh é dos meus filmes favoritos :') é lindo, em toda a sua tristeza e melancolia. Sofia Coppola no seu melhor!

    ResponderEliminar
  2. Nao gosto muito de filmes tristes, sou meio melodramática e acabo sempre chorando por qualquer coisa :(( kkkk

    http://buscandosonhos.com/

    ResponderEliminar
  3. É sem dúvida um dos meus filmes preferidos, é tudo tão bonito nele, mesmo as partes mais tristes. E as cores e a banda sonora são perfeitas *-*

    ResponderEliminar
  4. É um dos filmes da minha vida, e o meu preferido da Coppola. Adorei a fotografia, os figurinos, a banda sonora... A nostálgica melancolia sempre presente, que tão bem descreveste e resumiste. O livro é muito bom, se não leste ainda, recomendo :) Lembro-me que li e vi o filme por volta dos meus 15 anos, numa fase complicada, e identifiquei-me muito com a Cecilia, pelo facto de ninguém compreender o seu vazio interior, que se alastrou de forma trágica pelas irmãs. Fiquei perturbada na altura, por ser uma realidade tão próxima do meu imaginário. Além disso, tive uma adolescência conturbada e muito controlada pela minha mãe, e esse filme foi uma referência e um refúgio para mim. Por acaso, ia mesmo fazer um post sobre isto, na rubrica "Inspiration" ;) Quanto mais não seja para quem gosta de saddle shoes e babydolls ahah! Grande post^^ *

    nancywilde.blogspot.com

    ResponderEliminar
  5. Pelo relato que fizeste nota-se o porquê ter que se ver o filme com maturidade suficiente mas parece-me bastante apelativo, pelo menos à minha pessoa.
    Sorrisos,
    Alexandra :)

    Passa nos meus cantinhos.
    http://diariodumanovata.blogspot.pt/
    http://pieces4knowledge.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  6. dos filmes que mais gosto! so o ano passado é que li o livro e acho que ate gostei mais :)

    ResponderEliminar
  7. É dos meus filmes preferidos! Adoro-o em termos visuais e a perplexidade da história em si. Estou ansiosa que saia The Bling Ring, também da Sofia Coppola, e com a Emma Watson! :)

    ResponderEliminar
  8. Classificação para a psicologia 10/10

    Esse filme está fantástico em termos da influência das acções dos pais nos comportamentos das filhas. Retrata isso muito bem.

    ResponderEliminar
  9. Já vi este filme há imenso tempo e gostei :) a história é interessante...

    Http://styleloveandsushi.blogspot.com

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017