NEWS | O Excesso das Praxes no IPBeja

30 setembro 2012

Hoje deparei-me com a seguinte notícia no jornal Público.

O caso não é de hoje e certamente não é o primeiro a acontecer seja em que instituição for. Apesar de não ter opinião formada sobre a praxe - porque não passei por ela ainda para poder formar uma - sei que este assunto vai dar muito pano para mangas.

No entanto sei que os praxantes ao fazerem o comunicado em conjunto (visto que tudo na praxe é feito em grupo) a responsabilidade perde-se. Foram feitos alguns excessos possivelmente por parte dessa comissão de praxe - não sei, não estava lá para ver, estou apenas a usar o raciocínio lógico - e esses excessos não deveriam fazer parte do "normal" da praxe. Mas, também como todos sabemos, tudo vai continuar na mesma e os acidentes vão continuar a surgir.

Aqui as culpas foram atribuídas à aluna em questão que aparentemente não informou ninguém que poderia ter problemas de saúde, mas depois surgiu esta notícia.

Descobri também recentemente uma web série realizada em Portugal e totalmente em português que se chama 'Academia dos Submissos' que retrata situações como esta, podem vê-la AQUI.

A minha dúvida é: quando é que alguns limites serão impostos para que estas situações não se repitam tenha sido culpa dos praxantes ou dos praxados?

Até jazz,

3 comentários

  1. Apesar de ainda não ter passado pela praxe, percebo o teu ponto de vista, até porque é muito semelhante ao meu. Tem de haver certos limites porque há praxantes que querem mesmo ajudar os praxados, da mesma forma como foram praxados na sua altura, e contribuir para a integração dos caloiros na cidade e na faculdade mas também há alguns que se armam em superiores e são frustrados da vida. Estão ali a praxar porque se querem vingar dos males das suas próprias vidas. São horríveis para os caloiros "indefesos" que acham que se não passarem pela praxe serão excluídos pelos que foram praxados...

    ResponderEliminar
  2. eu sou de Beja, e este é o assunto do momento que tem sido muito debatido aqui... uns culpabilizam os veteranos, dizendo que foram eles que pressionaram a rapariga, outros dizem que os veteranos tentaram inclusive ajudar...
    mas penso que se ela tivesse informado que tinha problemas cardiacos, não tinha ganho muito :/ provavelmente ignorariam-nos, até troçariam disso, e acabaria por acontecer à mesma. é mesmo triste tudo isto, e depois, por outro lado, temos caloiros que estão tristes porque queriam continuar a usufruir das suas praxes, mas estas agora foram proibidas

    ResponderEliminar
  3. Continuo a achar que a praxe, não é essencial para a integração dos alunos e acho ridículo, andarem aos gritos no meio da rua, a chamar de bichos aos caloiros. A praxe por vezes, mais parece que é para humilhar as pessoas e se sentirem superiores...

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © 2011-2017