19.7.14

WISHLIST | Choies

A CHOIES é um dos sponsors aqui do blog - como podem ver ali na barrinha lateral, já viram? - e, por isso, de vez em quando, gosto de por lá passar e ver as novidades. Foi isso que fiz ainda há dias. Corri o site de uma ponta à outra.
Resultado? Uma wishlist gigante!

13.7.14

AD INFINITUM | 2

O meu gosto pela fotografia vem desde dos tempos em que eu não passava de uma amostra de gente. Cá em casa sempre tivemos um stock infinito de máquinas fotográficas descartáveis que me acompanhavam em todas as visitas de estudo, passeios, idas à praia, etc.

Fui crescendo e o gosto foi aumentado também. Quando me ofereceram a minha primeira (e única) máquina fotográfica digital compacta foi a loucura. Serviu-me durante muitos e longos anos até que sucumbiu há coisa de dois anos atrás devido à velhice. Graças a ela tenho muitos momentos da minha adolescência retratados.

Há cerca de quatro anos comecei a me interessar por máquinas mais complexas. Que dessem para fazer mil e uma coisas e que ainda fizessem o pino e cozinhassem uma sopinha de legumes como bónus.
Tinha a noção que precisava de um equipamento mais avançado para que a minha fotografia - que nesse momento gostava cada vez mais e a compacta nunca ficava quieta em casa - melhorasse.
Foi nessa altura que começaram os mealheiros e a poupança de todos os euros possíveis para o Fundo DLSR. E, foi assim, que há cerca de cinco meses, a Lola veio morar cá para casa. E não vou a lado nenhum sem ela.

A fotografia analógica tem encanto. Não há melhor do que termos um rolo, de rebobinar o filme quando se acabaram as 24 (ou 36) exposições. De esperar que sejam reveladas e das surpresa que é ver as fotografias nas nossas mãos (e se quiserem saber a opinião da Carolina em relação à fotografia analógica basta irem AQUI) no entanto não podemos ser tão rápidos a julgar a fotografia digital. É fantástico conseguirmos ver logo o resultado nas nossas fotografias no ecrã. É maravilhoso podermos tirar mais de 600 fotografias de uma só vez e não gastarmos fortunas em rolos. Podemos apagar logo aquelas que não gostamos e podemos mais tarde imprimi-las se assim quisermos. A fotografia digital é prática e não é preciso nenhum equipamento XPTO para fotografar digitalmente: basta um telemóvel, por exemplo.

A Lola não foi a primeira DLSR que me veio parar às mãos. Já tinha fotografado antes com Nikon e outros modelos de Canon e, por isso, não me senti atrapalhada com os infinitos menus, opções e definições que ela me oferecia.
No entanto sei que há pessoas que só agora se estão a aventurar neste Mundo e que se sentem perdidas.
Não se aflijam que é para isso que cá estou! Serve esta publicação para vos dar umas luzes sobre os conceitos básicos de fotografia digital com uma DLSR. Um espécie de Fotografia Digital DLSR 101. Só não me peçam para vos ensinar a fazer sopa com ela que isso ainda não descobri!

12.7.14

MOVIES | Flowers In The Attic

De há uns tempos para cá a FOX Life tem passado, religiosamente, filmes todas as tardes. Uns que me chamam à atenção, outros que nem por isso, mas todas as tardes é certo que mudo de canal e vejo o que está a dar.

Num destes dias deparei-me com o Flowers In The Attic - que para quem não sabe é um livro também! - e cuja história me interessou.

9.7.14

WISHLIST | July Wishes

Não sou de fazer wishlists mensais - a última que fiz foi em Abril - mas é Julho e não resisti. Tenho algumas coisas debaixo de olho - livros e batons - que gostaria que viessem viver cá para casa.

6.7.14

6 ON 6 PROJECT | July, 2014

Como assim já estamos em Julho e já é dia de partilhar com vocês as fotografias do 6 on 6 do mês?

Para Julho acordamos entre todas que iríamos fazer uma coisa mais simples em comparação aos meses anteriores. Após algumas sugestões chegamos a um consenso: rotina.
Só tínhamos uma regra: tínhamos de tirar uma fotografia de manhã, outra à tarde e outra à noite. As outras podiam ser de qualquer altura do dia que preferíssemos. Eu optei por as dividir irmãmente: duas de manhã, duas de tarde e duas de noite.

Mesmo sendo um tema fácil não foi simples de fotografar porque nenhum dos meus dias é igual. Não tenho rotinas das férias (tirando o acordar e o deitar-me a horas impróprias). A manhã e a noite foram fáceis de retratar, mas a tarde? A tarde deu-me alguns problemas. Mas fiquem aqui com as fotografias.
(Não esperem nada muito artístico nem espectacular, sim?)